Bairros planejados x Loteamentos

Tema cada vez mais recorrente nas conversas entre os empreendedores de mercado imobiliário, o bairro planejado necessita de cuidados especiais para sua implantação ser bem-sucedida. Uma vez que o bairro é a unidade urbana mais próxima da escala do homem, planejá-lo é a forma mais eficiente de intervir e melhorar as cidades. Diferentemente do conceito de loteamento, onde há apenas um tipo predominante de ocupação, o bairro planejado deve garantir fundamentos de moradia, trabalho, estudo e diversão em um espaço harmonizado e integrado ao meio ambiente. Além de integração com o tecido urbano existente, o novo bairro planejado deve apresentar hierarquia viária, vias de pedestres, ciclovias.

Um dos principais diferenciais dos bairros planejados em relação aos loteamentos é a possibilidade de regramento e gestão de parâmetros construtivos que se pode prever na ocupação: apesar da relevância do traçado das vias e do próprio desenho do bairro, o uso e configuração de cada edificação também definirá a dinâmica e a organização da vida dessa comunidade.

Para a definição da melhor forma de ocupação do bairro e seus parâmetros urbanísticos, os arquitetos precisam equilibrar três pontos primordiais: legislações vigentes, as vocações do local e as expectativas do cliente financiador. Sempre desafiadoras, as expectativas do financiador devem ser ponderadas para não comprometerem a qualidade do desenho do bairro planejado e não afetarem as vocações locais.